Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Afinal...

por Lavender, em 03.01.17

Diziam que assim em Janeiro o trabalho ia ser de doidos, que nem ia ter mãos a medir... 

Qual quê, fui trabalhar não achei nada de especial, andei até paradita, e ainda saí 2 horas mais cedo. 

E eu a querer fazer horas extras para compensar a semana do Natal. 

publicado às 17:06

Ups ...

por Lavender, em 24.05.16

Estou a fazer um trabalho para a cadeira de história política, e decidi (não perguntem porquê) analisar o fascismo italiano.

Não há problema, pensei eu.. Mais tarde vim a descobrir que a nossa opinião tem que ter peso na coisa, ou seja não é só analisar factos objectivamente.

E o que é que ando a fazer? A defender o fascismo como se não houvesse amanhã. Matem-me já!

What's wrong with me?

Leio as coisas que escrevo e até parece que foi outra pessoa a escrever, mas eu olho para as características da coisa e parece-me okey, não estou a dizer que devíamos viver num regime autoritário, mas eu as vezes pergunto-me se as pessoas eram assim tão infelizes naquela altura como as descrevem? Acho que a coisa é relativa, hoje em dia muita gente é infeliz com o governo que temos, como existem pessoas que os veneram.

A História é escrita pelos vencedores, o vencido será sempre o mau...

 

 

 

publicado às 16:41

Notas de uma Pseudo emigrante

por Lavender, em 05.10.15

Não posso considerar-me uma verdadeira emigrante, não sei porquê, acho que a emigração é outra coisa, é estar no desconhecido sozinha que nem bicho do mato, ter que procurar casa, trabalho, não ter nada nem ninguém.

Não foi o meu caso, sabia mais ou menos ao que ia,eram três meses, ainda não tinha trabalho, mas tinha lugar para ficar, o que não invalida o facto que se não pagasse renda estaria no olho da rua. 

Tive sorte, consegui arranjar trabalho num instante como empregada de mesa num restaurante que, ironicamente era Brasileiro, mas o pessoal era quase todo Português e muitas vezes eram uns cabrões uns para os outros, pareciam uns selvagens, não perdiam a mínima oportunidade para fazer queixinhas e coisas do género. 

Cheguei à conclusão que trabalhei numa cresce.

 

publicado às 18:24


About Me

foto do autor